Sardinha, atum e salmão. Comer um desses bichinhos pelo menos duas vezes por semana é uma forma eficaz de prevenir a doença isquêmica do coração. Esta semana, uma pesquisa publicada no British Medical Journal confirmou que o efeito se estende também à prevenção de derrame cerebral.

 

O estudo é uma análise de 38 diferentes pesquisas sobre o tema envolvendo cerca de 800 mil voluntários de 15 diferentes países.  Os resultados mostraram que o consumo regular de peixes ricos em  òmega 3 realmente reduzem o risco de derrame cerebral e quanto mais melhor.  Já o consumo de pílulas de ômega 3 não  proporcionou o mesmo efeito protetor. A interação do ômega 3 com vitaminas e aminoácidos essenciais encontrados no peixe in natura pode fazer a diferença.  Além disso, o hábito de comer peixe costuma estar associado a hábitos mais saudáveis como restrição de carne vermelha.

 

* Esta semana, pesquisadores da Universidade de Montreal demonstraram também que UMA ÚNICA refeição cheia de gorduras saturadas, as gorduras “do mal”, já é capaz de mexer com as nossas artérias. Logo após um sanduíche “daqueles”, já se pode perceber uma redução da função do endotélio. Endotélio é a camada mais interna das artérias e é bem reconhecido que qualquer fator que atrapalhe sua integridade funcional aumenta também o risco de eventos vasculares como o infarto do miocárdio e o derrame cerebral.

 smallicone

Anúncios