sleep

 

Os músculos das vias aéreas superiores relaxam durante o sono, e em algumas pessoas isso chega a provocar obstrução do fluxo de ar, levando aos sintomas de ronco, parada respiratória intermitente e sonolência diurna devido à má qualidade do sono. A isso se dá o nome de síndrome de apnéia obstrutiva do sono (SAOS). Pesquisa publicada recentemente pelo periódico PloS Medicine revela que a SAOS em sua forma grave está associada a uma maior risco de morte, especialmente por doença isquêmica do coração e entre homens de 40 a 70 anos de idade.

 

A SAOS é um problema de saúde muito comum afetando cerca de 10% das mulheres e 25% dos homens. Na última década, vários estudos revelaram que a doença aumenta o risco de diversos problemas de saúde como hipertensão arterial, diabetes, insuficiência cardíaca e doença isquêmica do coração, derrame cerebral, além do maior risco de acidentes devido à sonolência diurna.  O presente estudo é o maior até o momento sobre a mortalidade da doença. Mais de seis mil americanos maiores de 40 anos foram acompanhados por uma média de oito anos e o os resultados demonstraram que a SAOS aumenta em 40% o risco relativo de morte, independentemente de outros fatores como hipertensão arterial e obesidade.

 

Vale frisar que existe tratamento eficaz para a SAOS e já há boas evidências de que quando tratada há uma redução no número de suas potenciais complicações. Novos estudos provavelmente ainda nos mostrarão que o tratamento também é capaz de reduzir a mortalidade da doença. 

 ICONEPOSTsmall

Anúncios