Problemas de sono entre as crianças não são raros: estima-se que estejam presentes em 25-40% das crianças com idades entre 1 e 5 anos. As queixas mais comuns são a resistência em ir pra a cama, dificuldade em induzir o sono e freqüentes despertares noturnos, ou seja, problemas na quantidade, qualidade e no horário em que se dorme. Muitas vezes essas dificuldades podem ser decorrentes de maus hábitos de sono, e a educação dos pais é a estratégia central de prevenção e tratamento.

 

Recomenda-se que crianças com 1-3 anos de idade devem ter entre 12-14 horas de sono por dia, 11-12 horas para os pré-escolares de 3-5 anos e 10-11 horas para as crianças escolares de 6-12 anos. Dormir mal nessas fases precoces da vida pode ter forte influência sobre o comportamento e desenvolvimento intelectual, favorece o desenvolvimento de sobrepeso e obesidade, e pode até mesmo aumentar o risco de acidentes nas brincadeiras. Há evidências também de que as relações familiares e o equilíbrio psíquico da mãe são afetados quando a criança não dorme bem.

 

Atitudes para uma boa Higiene de Sono das crianças:

1- A cama dos pais não é lugar para as crianças dormirem;

2- Deve-se criar uma rotina consistente de ir para a cama, ou seja, no mesmo horário e com as mesmas ações. As crianças mais novas já devem ser preparadas para ir para a cama 30 minutos antes e as mais velhas 30-60 minutos antes;  

3- Leitura deve fazer parte da rotina do sono das crianças em qualquer idade. Uma das importantes causas de sono difícil entre as crianças, e frequentemente relatada por elas, é o medo do escuro. Histórias que abordam de forma positiva questões relacionadas à noite e à escuridão têm grande potencial de ajudar, iniciativa que é chamada de biblioterapia;

4- O ambiente do quarto deve ser silencioso, escuro e com temperatura adequada, preferencialmente em torno de 24 graus. Muitas crianças não conseguem dormir com as luzes totalmente apagadas, e nesses casos, dispositivos do tipo dimers para o controle da iluminação podem resolver o problema;

5- A rotina do sono deve também incluir a fixação de um horário para acordar. Quando os pais permitem que os filhos acordem mais tarde com certa frequência, eles podem estar dificultando o processo de ir para a cama à noite, criando um círculo vicioso;

6- A alimentação pode ajudar ou atrapalhar. Alimentos com cafeína devem ser evitados por no mínimo seis horas antes de ir para a cama. Alimentos ricos no aminoácido triptofano podem ajudar se ingeridos cerca de uma hora antes de ir para a cama, já que este aminoácido é precursor de substâncias indutoras do sono como a serotonina e melatonina. Entretanto, as evidências científicas da eficácia desses alimentos para uma boa noite de sono não são muito robustas. De qualquer forma, vale lembrar que leite, soja e banana são alimentos ricos em triptofano e que dormir com fome é muito mais difícil. Portanto, um leitinho antes de dormir pode ser realmente um bom negócio; 

7- Atividade física diária deve fazer parte desse pacote de Higiene do Sono, no mínimo três horas antes de ir para a cama. Independente do sono, 45-60 minutos de atividade física por dia são recomendados para as crianças. Esportes organizados são muito bem vindos, mas esse tempo pode também ser alcançado em múltiplas sessões de curta duração, em que a criança anda de bicicleta, brinca de pique pega, leva o cachorro para passear, etc;

8- Banho quente antes de dormir é uma medida que vários pais adotam. Não existem estudos científicos que aprovam essa medida, mas também não há estudos que a desaprovam.

 

Quando a Higiene do Sono não foi suficiente

Reforçar o sucesso de a criança ter conseguido seguir a rotina de horário é uma medida fortemente recomendada. Quando as crianças continuam com dificuldades para dormir, outras medidas podem ser necessárias. Uma delas é a redução progressiva ou não de atenção dos pais quando as crianças choram no quarto sem conseguir dormir, técnica chamada de extinção. Podem fazer visitas ao quarto da criança a cada cinco minutos, progredindo para visitas a cada 10 minutos, e assim por diante. Crianças menores de seis meses e com algum problema de saúde não devem ser submetidas a essas técnicas de extinção.

 

Uma variação da extinção é o chamado Passe do Horário de Dormir. A criança recebe um cartão que serve como um passe que garante a presença dos pais em seu quarto uma única vez ou uma breve saída do quarto. A criança é orientada que após gastar o passe, a extinção será completa, ou seja, os pais não entrarão mais em seu quarto, nem ela poderá sair do quarto. Os resultados preliminares dessa técnica têm sido animadores.

 

** CLIQUE AQUI e confira um bate-papo sobre o assunto com o Dr. Ricardo Teixeira na  Rádio CBN no dia 04 de fevereiro 2010

 

 

 

 

Anúncios