O que faz um adolescente ter contato inicial com a maconha e tornar-se usuário crônico enquanto outros têm apenas uma experiência isolada? A resposta a esta pergunta envolve inúmeras questões biológicas, assim como sociológicas, e uma pesquisa recém-publicada pelo periódico Archives of Pediatric and Adolescent Medicine apontou que o tipo de personalidade de um adolescente tem influência sobre o padrão de consumo de maconha da adolescência até a idade adulta.

 

Cerca de 800 americanos foram acompanhados entre os 14 e 37 anos de idade por meio de seis diferentes entrevistas ao longo desse período. Cinco diferentes perfis do uso de maconha foram identificados: 1) não usuários e experimentadores; 2) usuários ocasionais; 3) usuários em redução do consumo e ex-usuários; 4) usuários em incremento do consumo; 5) usuários crônicos.

 

Os resultados mostraram que os usuários crônicos apresentavam mais frequentemente uma personalidade do tipo “busca por novidade”, menor controle de emoções, comportamento mais impulsivo/agressivo e menos aspirações e expectativas educacionais. Essas características da personalidade de adolescentes foram capazes de predizer o padrão de consumo de maconha até 14 anos depois, podendo representar ferramentas valiosas para identificação precoce de adolescentes com maior risco de consumo crônico da droga.

 

No caso específico da personalidade tipo “busca por novidade”, esta já foi associada em estudos anteriores ao uso crônico e pesado de maconha. Já foi demonstrado também que indivíduos com esse tipo de personalidade apresentam uma menor concentração de um tipo de receptor da dopamina. A dopamina é o principal componente do nosso sistema cerebral de recompensa que é ativado toda vez que fazemos algo que dá prazer e sinaliza ao cérebro que vale a pena repetir a experiência, já que ela é prazerosa. Nesses indivíduos, toda vez que o sistema é ativado, mais dopamina seria liberada e a experiência com a novidade amplificada. Novos desafios “dariam mais barato” a essas pessoas, pois elas estão transbordando de dopamina.

 

Anúncios