.

Muitos estudos mostram a importância inequívoca da mãe no desenvolvimento dos bebês. Já o impacto da presença dos pais tem sido pouco investigado. Uma nova pesquisa conduzida por pesquisadores da Universidade McGill no Canadá demonstra que a ausência do pai em fases precoces da vida leva a menores habilidades comportamentais e sociais na idade adulta. O estudo foi realizado em camundongos, mas os resultados são relevantes também para nós humanos.

Camundongos Califórnia foram estudados. Eles têm um comportamento monogâmico e cuidam da cria juntos. Quando criados sem os pais, os camundongos apresentavam na idade adulta mais agressividade e interações mais conturbadas com outros camundongos. As fêmeas foram as que apresentam maiores alterações do comportamento e também apresentaram uma maior sensibilidade à ação da anfetamina. Estudos em humanos não são tão diferentes. As crianças sem a presença do pai têm maior chance de apresentar comportamento desviante e, no caso das meninas, já foi demonstrado que elas têm maior risco de abuso de substâncias psicoativas.

A atual pesquisa também mostrou que os ratinhos privados de pais apresentavam menor desenvolvimento do córtex pré-frontal, região do cérebro que modula o comportamento nas interações sociais. Essa foi a primeira vez que se demostrou que a estrutura do cérebro é diferente na ausência do pai.

O estudo foi publicado recentemente pelo periódico Cerebral Córtex.

.CBN-RICARDO[1]

Anúncios