Uma pesquisa publicada na última edição do periódico britânico Occupational and Environmental Medicine demonstrou que o telefone celular ao longo prazo pode estar associado ao sintoma de zumbido.

 

Os pesquisadores avaliaram 100 indivíduos consecutivos que procuraram o serviço de otorrrinolaringologia na Universidade de Viena com queixas de zumbido, um terço deles com sintomas bilaterais. Esses voluntários foram comparados a um grupo controle sem os sintomas, pareados por idade e gênero. Foram excluídos aqueles que apresentavam doenças do ouvido e que tenham feito uso de medicações potencialmente associadas ao zumbido. Foram excluídos também pacientes com doenças sistêmicas e psiquiátricas severas. Mais de 90% dos voluntários incluídos no estudo faziam uso do telefone celular.

 

Os resultados apontaram que o uso do telefone celular por um tempo maior que quatro anos está associado a uma maior chance de zumbido do lado em que o celular é utilizado. Esse efeito não foi demonstrado no caso de zumbido do lado oposto ao uso do celular.

  

O zumbido no ouvido, condição também conhecida como tinnitus subjetivo, é a percepção de um ruído que não pode ser atribuído a uma fonte externa e chega a acometer 10-15% dos adultos, especialmente os idosos. O sintoma pode ser percebido como um ruído no ouvido ou até mesmo da cabeça, com caráter variado: cachoeira, cigarra, campainha, sino, apito, etc.

 

Trauma craniano, medicações tóxicas ao ouvido, perdas da audição por exposição a ruídos e quase toda doença que acomete o ouvido podem vir acompanhadas de zumbido. Pode ser bilateral ou apenas de um lado, e quando pulsátil, pode sugerir comprometimento dos vasos sanguíneos. Entretanto, na grande maioria dos casos, a causa do zumbido é incerta.

 

Como o tratamento não costuma ser eficaz, medidas de prevenção são muito importantes, já que o problema está associado a estresse psicológico, transtornos do sono e dificuldades no trabalho. Teoricamente, o campo eletromagnético emitido pelos aparelhos de celular é absorvido pelas estruturas do ouvido e pode alterar a dinâmica desse sistema e gerar zumbido. O presente estudo sugere que o uso do telefone celular ao longo prazo pode sim ser um fator de risco para zumbido, mas novas pesquisas deverão ser realizadas para confirmar esse achado.

 

 

 

Anúncios