* Artigo publicado hoje no Blog Saúde para Todos do Correio Braziliense – por Ricardo Teixeira

 

A aterosclerose é um termo que já existe há cerca de um século. Entretanto, a aterosclerose é uma doença tão antiga que já foi demonstrada até mesmo entre as múmias egípcias. A palavra tem origem do grego – Athero = pasta e Skleros =  endurecimento. É o endurecimento das artérias devido a depósitos de material que hoje bem conhecemos: gordura, elementos celulares, cálcio, etc. E arterioslerose? É a mesma coisa? Arteriosclerose é um termo mais genérico que se refere ao endurecimento das artérias independente da causa. A Aterosclerose é sua causa mais importante.

 

O início do processo de aterosclerose se dá por uma disfunção da camada mais interna do vaso (o endotélio), seguido por acúmulo de gordura, desencadeando um processo inflamatório crônico. Vale ressaltar que o vaso sanguíneo é um órgão tão complexo do ponto de vista funcional como qualquer outro órgão do organismo. Hábitos de vida e doenças que representem insultos à sua camada interna são os maiores responsáveis pelo desenvolvimento da aterosclerose. Estes são os principais vilões: TABAGISMO, NÍVEIS ALTOS DE GORDURA NO SANGUE, HIPERTENSÃO ARTERIAL, DIABETES, OBESIDADE, INATIVIDADE FÍSICA, ESTRESSE, BAIXO CONSUMO DE FRUTAS E VEGETAIS e ABUSO DE ÁLCOOL.

        

Existem fatores que aumentam o risco da doença e que não podemos controlar e modificar, como é o caso da idade, sexo e história familiar. Entretanto, esses fatores “não modificáveis” contribuem apenas com 10% do risco do indivíduo apresentar um evento vascular como um infarto agudo do miocárdio. Em última análise, 90% DO RISCO ESTÁ EM NOSSAS MÃOS! E nosso dever de casa é reduzir ao máximo a presença dos fatores descritos acima, uma tarefa diária que poderíamos chamar de nossa Previdência Vascular.    

        

É importante saber que a aterosclerose começa desde muito cedo na vida. Obesidade em crianças e tabagismo em adultos jovens já provocam espessamento das paredes das artérias, e esse espessamento é a própria aterosclerose na sua forma mais precoce. A doença pode evoluir com a formação de placas que podem levar ao estreitamento lento e silencioso da passagem do sangue pelas artérias. Assim como qualquer plano de previdência, quanto mais cedo começarmos nossa Previdência Vascular, maior será o prêmio no futuro. Atividade física e dieta saudável devem começar na infância, e os pais têm que dar o exemplo.

 

Desde a década de 80, sabe-se que mais importante que o grau de estreitamento das artérias é a vulnerabilidade da placa de aterosclerose. Isso pode ser traduzido na chance dessa placa expor seu conteúdo diretamente ao sangue, e causar um processo agudo de coagulação do sangue chamado de aterotrombose. É esse evento que causará os eventos agudos e graves como o infarto coração e o acidente vascular cerebral.  Sabemos que o indivíduo que apresenta placas de aterosclerose e que investe bem em sua Previdência Vascular, este tem suas placas com capas de proteção mais fortes, com menor risco de rompimento.

 

Os administradores de previdência privada passam o tempo todo tendo que modular o tipo de aplicação de acordo com os ventos do mercado. Nossa tarefa como administradores de nossa Previdência Vascular é mais previsível, pois as diretrizes de sucesso não mudam de um dia para o outro, mas nem por isso deixa de ser uma tarefa que requer determinação e disciplina, já que o investimento deve ser diário. Já conhecemos bem o que fazer e o que não fazer para preservar nosso capital vascular, e o que precisamos é incorporar atitudes ao nosso cotidiano, entendendo sempre o porquê de cada ação.

 

* Leia na próxima segunda-feira: AS DEZ ATITUDES MAIS IMPORTANTES PARA PREVENIR A ATEROSCLEROSE.

 

Anúncios