Um dos maiores desafios da vida moderna é o desenvolvimento de atitudes que permitam uma convivência pacífica com o estresse. O estresse é o mecanismo de adaptação do organismo para enfrentar situações que considere ameaçadoras à sua vida ou ao seu equilíbrio interno. Este esforço de adaptação do organismo não deve ser visto necessariamente como maléfico, mas passa a ser potencialmente prejudicial quando há uma exacerbação ou prolongamento da situação ameaçadora, e está comprovado que esta é uma situação de risco para doenças do coração. Fatores que minimizam o efeito do estresse são muito bem-vindos, e alguns estudos têm demonstrado que um bom nível de integração social do indivíduo tende a reduzir o nível de alterações cardíacas provocadas pelo estresse. O interessante é que o efeito de suporte social como protetor do coração está relacionado não só com os amigos e a família, mas também com os animais de estimação, especialmente os cães. Acesse aqui o artigo na íntegra.

 

 

 

 

 

 

Anúncios