Cerca de 20% das mulheres e 8% dos homens sofrem de enxaqueca. Felizmente, a maior parte dessas pessoas apresenta crises pouco freqüentes. Entretanto, algumas pessoas têm muitas crises num mesmo mês e que muitas vezes não respondem aos analgésicos. É aí que o tratamento profilático deve se instituído: cerca de 6 meses de medicação diária para modular a química cerebral e fazer com que as crises diminuam em intensidade e duração.

Um dos problemas desse tipo de tratamento é que grande parte das medicações indicadas podem resultar em ganho de peso. O topiramato é uma medicação de reconhecido sucesso no tratamento da enxaqueca além de fazer alguns pacientes perderem peso.

E depois que paramos o remédio ? Os pacientes recuperam todos os quilos perdidos ? Um estudo publicado por pesquisadores alemães em abril de 2008 (Klein et al, JNNP) demonstrou que mesmo após 2 anos e meio da interrupção do medicamento, os pacientes não voltaram a ganhar peso. Cerca de 60% dos pacientes apresentou perda ponderal com uma média de 9.5 Kg, sendo que os mais gordinhos no início do tratamento foram os que tiveram mais chance de emagrecer. 

Novos estudos com maior número de pacientes são necessários para confirmar esses resultados, mas é bem razoável pensarmos no topiramato como uma das principais opções para o tratamento da enxaqueca naqueles indivíduos com sobrepeso, sem esquecer de uma dieta consciente e atividade física regular.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Anúncios