Man and Woman Holding Wine Glasses

.

Por Dr. Ricardo Teixeira

.

É isso mesmo. Um casal ao longo do tempo substitui as briguinhas, mais presentes nos primeiros anos de convívio, por bom humor e compreensão.  Essa foi a conclusão de um estudo recém-publicado pela Universidade da Califórnia nos EUA. Os pesquisadores estudaram, através de vídeos, as interações de 87 casais heterossexuais juntos há pelo menos 15 anos. Essa análise era feita por avaliação da expressão facial, conteúdo verbal e tom de voz. As emoções observadas eram então categorizadas em raiva, desprezo, comportamentos defensivos ou de dominação, medo, tensão, tristeza, manha, interesse, afeto, humor, entusiasmo e validação.

 

Os pesquisadores avaliaram por 13 anos o conteúdo emocional das interações desses casais e mostraram que aqueles que tinham mais tempo de estrada apresentavam menos comportamentos críticos e ficavam menos na defensiva. Foram também os que se comunicavam com mais ternura e humor. Os resultados são contrários à ideia de que com o tempo a relação de uma casal se desgasta e fica menos afetuosa. Pesquisas anteriores já haviam demonstrado que a relação estável de longo prazo reduz o risco de ansiedade e depressão.

 

No atual estudo, comportamentos negativos foram menos expressivos em casamentos mais duradouros de uma forma geral, independente do grau de satisfação com o casamento, mas as mulheres tinham uma maior tendência em assumir posturas dominadoras.

 

Outras pesquisas revelam que um projeto de vida a dois bem sucedido tem repercussões positivas em diversas dimensões do equilíbrio psíquico, mas também da saúde física. Por outro lado, um casamento estressante pode ter o efeito oposto, especialmente entre as mulheres.

 
Anúncios