O cerebelo é uma região do sistema nervoso central que fica na sua parte posterior e por muitos anos foi considerado como o maestro de nossa coordenação motora. Há algum tempo temos evidências de que o cerebelo também participa da nossa atividade cognitiva. Nesse caso ele usa sua batuta para fazer com que as regiões do pensamento trabalhem em conjunto de forma mais eficaz.

Pesquisadores da Universidade de Stanford nos EUA demonstraram recentemente de que o cerebelo também é um dos atores principais para a orquestração de nossa criatividade. Quando voluntários fazem desenhos dentro de uma máquina de ressonância magnética funcional, os desenhos eleitos pelos participantes como os mais criativos foram os que foram feitos com uma maior ativação do cerebelo.  O cerebelo é um maestro que trabalha em um nível inconsciente. Quanto menor a consciência do processo, maior será sua ativação. Trocando em miúdos: quanto mais nos esforçamos para pensar e calcular uma criação, menos criativo será o produto final.

A velha história de que o hemisfério cerebral direito é mais criativo que o esquerdo está cada vez mais fora de moda. O cerebelo também tem dois lados e parece que ambos fazem toda a diferença no processo criativo.

Anúncios