.

Uma pesquisa publicada na última semana no jornal eLife por pesquisadores Israelenses aponta que o aperto de mãos pode ser uma forma ancestral e socialmente aceitável das pessoas experimentarem o cheiro dos outros. O estudo mostrou que as pessoas cheiram inconscientemente a mão usada para um aperto de mãos duas vezes mais. O estudo conclui que as pessoas n/ao estariam apenas expostas passivamente aos odores, mas que também buscam de forma ativa.  Os animais cheiram seus semelhantes de forma muito menos “disfarçada”.

Os pesquisadores avaliaram 280 voluntários separados em dois grupos: uns foram filmados após um aperto de mão e outros que não receberam este cumprimento.  O aperto de mãos entre pessoas do mesmo gênero foi associado a um comportamento inconsciente de cheirar a própria mão duas vezes mais freqüente.  Já entre pessoas de gêneros opostos, essa mudança foi menor.

Anúncios