Sabemos que alguns componentes nobres do cacau têm ações antioxidantes e antiinflamatórias que ajudama reduzir o risco de derrame cerebral. Mas será o cacau também tem o poder de melhorar nossas funções cognitivas como a memória? Uma pesquisa recentemente publicada pelo periódico Nature Neuroscience aponta que a resposta é sim.

Pesquisadores da Universidade de Columbia nos EUA mostraram que três meses de consumo diário de um superpreparado líquido das substâncias nobres do cacau, chamadas de flavanols, deixa a memória realmente mais afiada. O preparado fez com que voluntários com 60 anos de idade passassem a ter o desempenho de memória semelhante aos de 30-40 anos.  A pesquisa também mostrou que o giro denteado do hipocampo passava a receber maior fluxo sanguíneo após os três meses de flavanols. Esta é uma região do cérebro que está intimamente associada ao declínio cognitivo do envelhecimento normal. Essa ativação pelos flavanols já era conhecida entre roedores.

Não pense em encher a cara de chocolate, pois isso não deve ter o mesmo efeito. O preparado continha 900mg de fllavanols e foi produzido especialmente para a pesquisa. Essa concentração corresponderia a umas 25 barras de chocolate ou até mais, já que durante o processamento do cacau, perde-se muito desses componentes.

 A empresa de alimentos Mars que financiou parcialmente o estudo está sempre de olho na produção desses preparados em larga escala. Novos estudos serão realizados para testar se concentrações mais baixas de flavanols serão capazes de propiciar o mesmo efeito na memória.  Além disso, não se sabe ainda quanto tempo dura o efeito.

Anúncios