A revista British Medical Journal traz em sua última edição uma discussão muito interessante que mereceu até editorial principal. Gira em torno da importante contribuição dos serviços de saúde na emissão de gases e da grande oportunidade de se ter os médicos como aliados no processo de conscientização da comunidade para mudanças de atitudes que reduzam o impacto do aquecimento global.
Recentes pesquisas revelam que a sociedade brasileira deposita grande confiança nos médicos. No final de 2007, o instituto de pesquisa Market Analysis divulgou um estudo revelando que, entre todos os profissionais, o médico é considerado o mais confiável com 71,5% de votos. Quando se fala em credibilidade sobre ciência e tecnologia, os médicos mais uma vez são campeões. O estudo Percepção Pública de Ciência e Tecnologia, divulgado pelo Ministério de Ciência e Tecnologia em 2007, coloca os médicos no podium junto aos jornalistas quando se pergunta à população qual é o profissional de maior confiabilidade – 43% disseram confiar nos médicos e 42% nos jornalistas.

E aquecimento global tem alguma coisa a ver com saúde? Tem sim. Uma série de estudos mostra que o aquecimento global está associado ao aumento da incidência de doenças infecciosas como a dengue e a malária e ao aparecimento das mesmas em regiões do planeta em que não existiam antes (The Lancet Vol 371 Março 22, 2008).
Os médicos realmente podem se engajar em programas de redução de emissão de gases e aquecimento do planeta. Podem, ainda, adicionar ao atendimento aos pacientes recomendações ecológicas básicas. Outro assunto que tem sido muito discutido é a necessidade de redução do turismo científico e racionalização do número de congressos internacionais, com incentivo ao maior uso de tele e videoconferências. Podemos até mesmo almejar um nível de consciência no qual os médicos passem a prescrever medicamentos de indústrias farmacêuticas que demonstrem real responsabilidade social e ambiental.
O aquecimento global não é um problema que está batendo à nossa porta. Já entrou e sentou-se à mesa com nossos filhos.

 

 

 

 

Anúncios