aneurysm2 

 

 

Um estudo publicado na prestigiada revista Nature Genetics nesta ultima semana dá um passo muito importante no entendimento de uma das mais graves doenças neurológicas: o aneurisma cerebral. O aneurisma é uma dilatação de um segmento de uma artéria do cérebro, fazendo com que sua parede fique frágil e com maior chance de se romper. Ao se romper, o risco de levar o indivíduo à morte é de 40%.

 

Já sabemos que o aneurisma cerebral é uma condição que tem um inequívoco componente genético, e o risco de alguém vir a apresentar o problema é cerca de duas vezes maior quando há um parente de 1º grau com a condição e até 50 vezes maior quando há dois ou mais parentes de 1º  grau.

 

Os pesquisadores avaliaram 2100 pacientes com história de aneurisma cerebral rompido e 8000 controles com origem na Europa e Japão e conseguiram identificar três variações cromossômicas associadas ao aneurisma cerebral. Duas dessas variações foram descritas pela primeira vez, enquanto o terceiro já havia sido descrito anteriormente. 

 

Os novos achados podem levar a novos testes para detecção precoce do aneurisma, antes que ele se rompa. Um dos genes em que tais variações foram encontradas está associado à capacidade de reparo dos vasos sanguíneos, o que abre caminho também para o desenvolvimento de terapêuticas que possam prevenir o desenvolvimento de aneurismas, mesmo entre aqueles que têm tendência genética a apresentá-los. 

 

´

Leia também:

 

Quando realmente devemos fazer check-up para aneurismas cerebrais

Mais informação e menos medo de aneurisma cerebral.

 

  

smallicone9 

 

About these ads